segunda-feira, setembro 21, 2009

Vai uma apostinha?

Na sequência do sucesso obtido com o concurso Rei dos Frangos, o TouCaNeura lança um novo concurso relâmpago, entitulado "Não me lixem, cumcarago!", que consiste na recolha de apostas sobre o que irá acontecer na apresentação do projecto Casa das Artes, na próxina Quarta-feira na JFM. As apostas poderão ser feitas através de comentários neste post. O autor da aposta vencedora irá ganhar um lugar de vereador na CMA proporcionada pela vitória da lista TouCaNeura nas eleições autárquicas de 2013. O lema do concurso é - Aposte no "Não me lixem, cumcarago", aposte no seu futuro!

Este concurso termina às 20:30 do dia 23 de Setembro.

22 comentários:

Zandinga disse...

Fui o visitante 11111.
Eu aposto que o Fresco e o Moises se pegam.

Anónimo disse...

Ao contrario do que se possa pensar, vai tudo entrar mudo e sair calado. A SMM e o CAORG vão comer e calar porque estão desesperados (principalmente o CAORG).

Anónimo disse...

Eu aposto que vão escolher a primeira pedra para o lançamento da obra... têm já várias escolhas feitas entre elas 2 da Serra dos candeeiros e 3 da Serra d´Aire mais 2 da pedreira do Alto dos moinhos, embora estas tenham poucas hipóteses devido à deterioração que apresentam pois estão há muito tempo esquecidas... ou seja desde o encerramento da pedreira.

ALICE COOPER

wolfinho disse...

Eu aposto que não vai haver reunião por falta de condições.

Passo a explicar:

1ª falta de condição: à hora a que está marcada a reunião (20:30), não se vai conseguir ouvir nada de jeito, tal será o barulho entontecedor que os estômago(s) estão a fazer.

2ª falta de condição: Se por acaso a 1ª condição se conseguir resolver - tipo, a junta ter umas entradas para a malta entreter a tripa - a reunião não se realizará por falta de condições da sala.

Anónimo disse...

O mais interessante será observar a cara de cínicos de quem anda a marrar nesta ideia há anos.

Pessoas que tiveram a capacidade de fazer uma merda dum museu que mal se entra já se está a sair têm alguma coisa para mostrar?

Imaginem esta gente no tempo do Marquês de Pombal - eram logo enviados para o manicómio.

E que dizer do mastodonte que alguém projectou para o terreno ao lado da casa de teatro. Aquilo mais parece um panzer da 2ª guerra mundial.

Esta gente tem noção do que anda a fazer?

Kate Moch disse...

Lamento mas em relação ao museu não posso concordar consigo. O museu embora pequeno fisicamente (estamos em Minde, caramba! Queriam o quê um Guggenheim?)é imenso na sua obra. Tem como seu espólio cerca de 70 aguarelas só das Pupilas do Sr. Reitor, fora outras. As obras em exposição vão sendo renovadas periodicamente, por um lado porque a aguarela é extremamente sensível e por outro para que possamos visitar o museu várias vezes, fazendo dele um espaço vivo. Estarei equivocada nesta minha ideia? Penso que não.

O Taberneiro disse...

Aposto que o projecto será apresentao, sem que ninguém possa fazer perguntas!

Anónimo disse...

E eu aposto que vai chover, que o benfica vai ganhar quando jogar com o monsanto, e que o natal deste ano calha a 25...
MP

Anónimo disse...

eu aposto que os mendricos vão comer outra banhada da camara, pois já mais este projecto se fará em minde.



ass: o meu primo pardal

Kikas disse...

Kate Moch

Estamos em Minde, terra pequena, logo as coisas que se fazem têm de ser pequeninas. Mas, porra, tão pequeninas assim?

Claro que só em aguarelas das Pupilas do Senhor Reitor há 70, por acaso fechadas a sete chaves num cofre da cave da casa de Justino Guedes.

Eu acho que a Dona Moch perdeu uma rica oportunidade ao ter optado por nos fazer rir amarelamente desta maneira e não de outra de forma mais arrebatadora.

tb amigo do arnaldo e taberneiro disse...

Aqui têm, com 24h. de antecipação, um breve relato cronológico dos acontecimentos do dia de amanhã:

20.25h– Chegam à praça 14 de Agosto Marcelino, Azevedo, João José e Fresco, acompanhados de 5 semi-desconhecidos.

20.35h– Começa a juntar-se uma pequena multidão às portas da Junta, que permanecem fechadas. Fresco pede a João José: “Pode telef. ao Sr. Aguiar para vir abrir isto, que ele não me atende o telefone?”

Chega a entourage CAORG, liderada pela Dra. Maria Alzira. Logo de seguida, começam a chegar os vários partidos concorrentes às eleições locais. Chega também o Comité de Crise, VMCS, 20 covanitos e os escuteiros. O trânsito no centro de Minde fica caótico e os 7 lugares de estacionamento da Praça esgotam-se rapidamente.

Luís Pires, presente há 9 minutos no local, por esta hora já tinha cumprimentado 45 pessoas.

20.50h– Já dentro da Junta, Marcelino pergunta a Ant. Cândido se está ali em representação da Banda, visto que ainda ninguém tinha aparecido dessa Colectividade.

Ant. Cândido responde que em bom rigor está em representação da Junta, da Banda e de mais meia-dúzia de colectividades de Minde que não consegue agora precisar.

Luís Azevedo aproveita para pedir a Marcelino para estar calado durante esta noite.

20.55h – A equipa TCN entra na sala da Junta.
Taberneiro diz boa noite e é imediata e reverencialmente cumprimentado pelo Vice-Presidente do Comité de Crise, por 3 covanitos e por 2 semi-desconhecidos.
Tozé Marruas rabisca qlq num papel e tira-lhe uma foto com o telem….

21.00h – Entra Carlos Correia, seguido de PM e a equipa Novo Rumo.

Renata Henriques aproveita o silêncio que se instalou na sala para perguntar a Ana Cláudia o que significa a sigla CAORG. Ana Cláudia pede-lhe para estar calada esta noite.

21.05h – João José pergunta se podem começar a apresentação. Vereador Artur pede-lhe para continuar calado e dá o micro a C. Malaca, que de imediato ordena a um grupo de mindericos para se calarem.

Das 21.06h às 23.30h – nota: a partir deste momento a sucessão de eventos foi de tal forma rápida e dramática que, eventualmente, muitos factos não puderam ser apreendidos devidamente pelo relator.

Tudo começou com Moisés Morgado, que aos berros e de dedo em riste foi pedir explicações aos ICA’s acerca daquele rapazola que estava na terra dele a mandá-lo calar, no que foi imediatamente apoiado pelo Comité de Crise e pelos membros do Parlamento da Esplanada do Tony Anjos ali presentes.

Aproveitando-se da confusão, VMCS, PM, Wolfinho e 20 mindericos acercaram-se da maquete das sedes e destruíram-na por completo, gritando entusiasticamente: “Abaixo o betão nas Eiras!”.

Perante o caos instalado, Fresco de imediato telefonou à IGAL para vir conter a revolta popular. Azevedo e Marcelino, ao ouvirem o telefonema, retiraram-se discretamente das instalações da Junta.

Noutra ponta da sala, vários covanitos encostaram Fernanda Asseiceira à parede, exigindo-lhe 2 pavilhões gimnodesportivos, 1 complexo de piscinas olímpicas, 3 museus, 2 pistas de parapente e 4 sedes.

(continua...)

tb amigo do taberneiro e wolfinho disse...

(cont...)

No entretanto:

Tónica continuou durante 2 horas a referir a meia-dúzia de populares que “sabia” de “fonte segura” que não vão existir nenhumas sedes no Largo das Eiras nem em parte alguma.

Paulo Vaz mandou vários sms a Bernardino Soares a perguntar-lhe se ainda vinha na auto-estrada…

Luís Pires já tinha cumprimentado 346 pessoas.

João Paulo Afonso e Ana Cláudia rabiscavam num canto aquele que pela manhã viria a ser o 27º comunicado do PSD Alcanena nestas eleições.


No final da noite:

A IGAL acabou por levar detidos PM, VMCS, Wolfinho e 20 mindericos, sob gritos de “a luta continua” e uma estrondosa salva de palmas dos restantes mindericos presentes.

João Faria, Arnaldo Ventura, Taberneiro, Gaz, Yhaz, Maria Papoila, Alice Cooper, Zé Cueca, Kate Moch, Ricardini, Mindericus Vulgaris, outros 3 alter-egos de VMCS e ainda 498 anónimos comentadores de blogs são identificados pela GNR de Alcanena, depois de terem tentado libertar Wolfinho das garras da IGAL.

João Ramiro perguntou a Maria Alzira se depois desta noite ainda tinha de continuar a fingir que gostava dos ICA’s. Ela mandou-o continuar calado até dia 11.

Luís Pires retirou-se para casa com um recorde de 768 cumprimentos, saudações, abraços, beijinhos e palmadinhas nas costas aos populares.


Pelas 5 da manhã:

Zé Manel do Estaminé pede a alguns políticos para abandonarem o estabelecimento, suplicando-lhes para o avisarem com mais antecedência quando quiserem fazer noitadas a meio da semana a discutir política, a beber minis pelo gargalo e a comer pevides…

Anónimo disse...

excelente!!!
digna de um filme dos Monty phytons esta sequência de acontecimentos... no entanto noto aqui a falta de um actor de renome.. António Menezes o ex nº2 do PS...ele não sabe que vai haver reunião????!!!! ou está proibido de sair de casa?
um abraço

ALICE COOPER

Anónimo disse...

Este comentário do tb amigo do taberneiro e do wolfinho levou-me às lágrimas. Está demais! Caro amigo, continue, que o que escreve é bem escrito e com espírito. Parabéns.

Anónimo disse...

O Menezes, como mora em Fátima, atrasou-se no transito! Partiu tarde, depois de ter lavado a louça do jantar!

Anónimo disse...

Falta outra pessoa que não foi referida: o bate-chapas com o seu cachecol encarnado que leva quando é entrevistado pela televisão.

E faltam mais algumas pessoas, aquelas que todos os dias se reunem no parlamento da praça do estaminé e que têm resolvido todos os problemas de Minde, a saber: Zé Augusto, Cândido Simões e Alfredo Rui (o desprezado).

gAz disse...

Muito bom mesmo o comentário, só acho que exagerou um bocadinho na parte do estaminé, pois às 5:00 da manhã já a célinha chamou a policia, e as pevides só se as levarem de casa pois no estaminé só há tremoços.

Abraço

Anónimo disse...

Está muito boa, a descrição.

Só falta o número de vezes que a Fernanda manda calar o Pires e os telefonemas que ela faz para a Administração Interna e para as Obras Públicas para acabarem com esta romaria (mas o telefone dá interrompido porque o número dela entrou para a lista negra por não ser deputada a partir de Domingo...)

Kate Moch disse...

Amigo do Taberneiro e do Wolfinho MUITOS PARABÉNS. Não tenho duvidas que o prémio será teu.

PS - Não queres ser meu amigo também?

Firmino da Bacalhoa disse...

Ò anónimo (23 Setembro, 2009 09:05), então não sabes quem é o comité de crise!?

Tens de te informar melhor antes de mandares bocas que revelam ignorância.

Anónimo disse...

A cronologia não está completa.

O Benjamim e o Américo Manha, protestam porque só souberam da reunião na 5ª Feira.

O Lobo Xavier, enganado pelo Pacheco Pereira, procura uma terra onde se fala uma lingua estranha, e chega ao Mindelo.

Anónimo disse...

Uma boa telenovela para a TV Minde...talvez um pouco esquecida...é natural!
Traumente.