quinta-feira, setembro 23, 2010

Ainda a diversidade dos materiais...

Este foi um comentário muito sensato deixado no post "Materiais Diversos" que eu achei merecedor de um post.

"Muito se tem debatido e falado em Minde acerca das questões monetarias que envolvem o Festival Materiais Diversos. Mas vejamos vários pontos: seria possivel um Festival destes sem uma estrutura remunerada e a trabalhar desde cedo para que este mesmo possa existir?A mera carolice (que é de louvar e é bom continue) de alguns seria o suficiente para um projecto atingir as dimensoes que este tem?O investimento feito pelo Festival atraves dos apoios concedidos pela Camara, Ministerio da Cultura, DGA, Turismo Lisboa e Vale do Tejo e REN não serão beneficos para Minde? Atraves de toda a massa humana e gastos tidos em Minde por pessoas que não de MInde, bem como das compras directas feitas pelos festival?Um rol de aspectos que poderia referir de ganhos directos e indirectos para Minde...Contudo continuamos a ter em Minde pessoas que optam pelas chamadas bombas (ou seja grandes revelações que irão chocar as pessoas pelo seu conteudo mas que no fundo não passam de conversa fiada) ou sob a capa do anonimato optam pela critica, pois sempre é mais facil criticar do que levantar o rabo e ajudar a criar algo em Minde. Esse mesmo "algo" que ajuda a dinamizar economicamente Minde e que abre mentalidades no que respeita ao direito a diferença seja ela de que campo for. (raça, opção sexual, estado civil e etc)Sugiro que esse anonimo, que indique esse alguem, que esta a ganhar dinheiro com o Festival. Certamente terá documentos que indiquem esses desvios de fundos ou o que quer que seja, pois larachas para a blogesfera é facil. O que vejo, são sim profissionais do espectaculo a fazer o seu trabalho em Minde, onde poderiam estar noutro local a prestar os seus serviços que não em Minde.Enfim, certamente tambem havera erros a apontar ao Materiais Diversos na sua actuação em MInde, mas criticas de mal dizer e sem fundamento é que não...Perder minutos do meu tempo a ver comentarios sem pes nem cabeça é que não..."

Agora que o Festival está de partida, é pertinente falar-se mais um pouco sobre ele mas, por favor, com todo o respeito que todos aqueles nele envolvidos merecem. Claro que o Festival tem fins lucrativos, afinal, este é o trabalho daquela gente. Quem pensou o contrário é ingénuo. E se não fosse assim, não funcionava nem tinha continuidade.

E sei que o contributo do Tiago Guedes para o desenvolvimento de Minde ainda está em semente...
Ele defende as "pontes" onde há muito haviam "muros".
Defende a união de esforços, de infraestruturas e, melhor que tudo, a sua voz é ouvida por quem pode ajudar...
Muitos Tiagos...muitos!

10 comentários:

Anónimo disse...

Deviam estar como a Kate em relação aos azulejos da sua casa!!!
"Não vos caber uma palhinha"..
"O que ainda só bebeu vinho na mata"

krasiva disse...

Mais nada, KATE...tens toda a razão :)

Anónimo disse...

Ainda irão engolir o que andam a dizer do Tiago Guedes, da sua equipa e dos "elias" que para aí andam. Ao ler certos comentários tenho vergonha de ser minderico. Como é possível atacar um projecto que finalmente dará a dimensão cultural à nossa vila?
O falatório que foi por ter saído na comunicação social que Minde era uma aldeia, o falatório que foi acerca das questões de género que em boa verdade só interessam aos próprios.
E dos magníficos espectáculos que tivemos a honra de assistir alguém fala?
Da magnífica Vera Mantero que deixou todos de boca aberta, da Antónia Baehr que fez um espectaculo de riso que todos adoraram, do Martim Pedroso e a sua integração no jardim daquele museu que todos criticam e que no Materiais Diversos ganhou outra vida.
Mas será que vocês se esquecem que o festival é também espectáculos e não as coisas pequeninas que se falam por aqui ou à boca pequena nos cafés de Minde.
Parabéns Kate por teres postado este comentário e de dares visibilidade ao que de sério se escreve neste blogue.
Quanto ao resto....é esperar para ver...
Conheço mal o Tiago Guedes mas acima de tudo acho que do topo da sua discrição faz na sombra o que tanto precisamos...
A ver vamos....
Tenho ouvido falar de Centros Culturais ao lado do Intermarché...tenho ouvido muitas coisas.
Parece-me que este Tiago é dos únicos que acredita em projectos de conjunto...o meu medo é que ele comece a lutar contra um muro de imbecilidade que à aos presenciamos em Minde.
Não acredito que este Tiago seja um messias mas acredito que seja um grande homem como alguns Guedes que o foram e que deram nome a algumas ruas da nossa aldeia, ops, vila, ops, cidade, ops, capital da cultura pelo menos nestes 15 dias do Festival Materiais Diversos.
Tenho dito

wolfinho disse...

Já o Novo ruma acreditava e defendia projectos em comum.

Enfim com o tempo as mentes abrem-se.

Kate Moch disse...

Obrigado anónimo(a) das 15:21.
São comentários destes que me fazem continuar a dizer o que penso...

pardalito disse...

wey!!!!!

ja vi que tem havido discussao em minde!!

sò tenho pena de nao poder ter assistido e ajudado o "materiais diversos" , mas è um prazer ver que alem de ter dado um show de cultura à malta tambem deu conversa para pelo menos 15 dias, discussoes acerca de como viver em minde uns com os outros , e saber respeitar a malta.. è bom .. pode ser que a proxima geraçao que viva em minde ja possa disfrutar de toda esta abertura de mentalidades a que os mindericos ainda nao estao habituados ( nao sao todos mas sao alguns ) ...

e pronto.. so tenho pena de nao me ter rido como nao se ri em minde, relaxado no jardim do museu , curtido mais os meus amigos no meio de estrangeiros e toda essa mistura que de certeza tornou Minde numa terra mais bonita..

de certeza que por um sem fim de razoes , boas , màs, terriveis , sem nexo, magnificas acerca do festival, da organizaçao, do dinheiro , de tudo e mais alguma coisa que se lembraram sò para ter o prazer de discutir da pior maneira possivel.. quem ganhou foram os MINDERICOS!

queixam.se tanto do tiago e foi o unico que teve tomates para vir a minde montar uma festa desta dimensao!!! assim que um muito obrigado da minha parte!

=D .. de certeza que foram tempos de alegria e tenho uma inveja terrivel de nao ter estado.

um ate à proxima

Anónimo disse...

Também quero dizer umas coisas acerca dos Materiais Diversos.
Já no ano passado adorei o festival e me senti muito orgulhosa da maneira como os mindericos receberam esta iniciativa inovadora e arrojada, Temos que saber reconhecer a sorte que temmos por haver quem aposte em nós desta maneira (desde já vos digo que tomaram muitas terras a sorte que nós tivemos, e algumas bem perto de nós...)Este ano fiquei um bocadinho ressabiada por não terem querido usar o palco do Cine Teatro Rogério Venâncio para nenhum espectáculo. O nosso cine teatro está velho, a cair, chove lá dentro, o chão está a desfazer-se de caruncho, mas... é nosso. Quem desfizer da minha menina (a casa do povo) é como se me espetasse uma faca no coração... Mas já lhes desculpei.
O festival este ano está a ser fantástico! Tenho gostado de todos os espectáculos a que fui, alguns verdadeiramente surpreendentes (já fui a 6...) Além de que é espectacular ver Minde cheio de pessoas de todas as cores - para nos compensar do cinzento de muitos do nossos dias.
Espero no próximo ano poder voltar a participar no festival (mas é condição de ser no nosso cine teatro) Este ano vou-me contentando com os últimos espactáculos e as últimas noites loucas na gráfica.
Maria Papoila

R.M.A. - o memória longa disse...

Eu não quero alongar-me em considerações acerca do festival materiais diversos, mas apenas dar os seguintes apontamentos, no seguimento destes posts e destes comentários:

1 - Espero que o festival não tenha fins lucrativos, ao contrário do que a Kate refere, porque isso seria, para além de uma vergonha, ilegal. O festival é uma associação (que, como tal, não pode ter fins lucrativos) e recebeu subsídios, nomeadamente da Câmara, enquanto associação.

Se não for assim, penso que o dinheiro da Câmara seria muito mais bem empregue nas empresas da terra para tentar salvar alguns empregos. Atenção que isto não significa que a associação não possa ter funcionários remunerados ou a sua direcção receber uma remuneração. Isso fica ao critério de cada uma (prefiro uma remuneração directa e aprovada pelos associados que remunerações encapotadas, com directores com avenças de prestações de serviços às suas colectividades…).

2 - Efectivamente existiram falhas de comunicação no festival. Por ex., é gravíssimo permitirem que saiam reportagens em jornais onde se refere que Minde é uma aldeia, por contraposição a Alcanena, que é uma vila.

A dificuldade em aceitar críticas também será um ponto a rever. Tirando 3 ou 4 ressabiados, sem expressão, ninguém anda a dizer mal do Tiago, do Festival ou do que quer que seja! A vitimização que vem daí é porreira e até dá jeito, mas dispensamo-la, desde logo o Tiago, a maioria dos membros da associação e o resto das pessoas…

Qualquer dia faz-se um comentário menos positivo, ainda que em crítica, e respondem logo com um coro de apoios tipo jogo de futebol ou tipo claque…

3 - Acho que é legítimo discutir-se a oportunidade e quantidade dos apoios públicos, principalmente da Câmara, a um evento deste género, quer pela comparação com o apoio dado a eventos anteriores - muitos com custos de cartaz superiores -, pela comparação com o apoio a outras colectividades e, claro, pelas prioridades que um concelho à beira da falência deve ter no gasto dos seus dinheiros e quando é público que existem problemas sociais graves na freguesia de Minde.

É essencial escrutinar esses apoios. Ou alguém se julga acima dos outros? Se todos os anos se questionam apoios a isto ou aquilo em Minde, o apoio ao festival Materiais Diversos não pode ser questionado?!

4 - Espero que todas as iniciativas que levem a uma economia de escala nos gastos públicos e à criação de sinergias entre entidades de Minde sejam levadas a bom porto. Refiro-me, concretamente, ao projecto da Casa das Artes, que sei que está em cima da mesa com um forte apoio do Tiago Guedes e de outros.

Uma curiosidade já aqui referida: esta ideia teve como origem e foi uma bandeira do Novo Rumo, ainda há poucos meses. E foi defendida anteriormente por outras pessoas publicamente. Basta ler aqui no TCN, no Minderico.com, no Minde-Online ou no Debater-Minde, para quem tem memória curta.

Na altura, o CAORG e a SMM foram radicais contra esse projecto, fazendo campanha contra ele e contra o Novo Rumo. Da parte do Tiago Guedes e da Associação Materiais Diversos nada se viu, apenas uma rígida e cautelosa neutralidade, para o que desse e viesse… Agora, andam todos com palmadinhas nas costas a quem manda, para ver se chove alguma coisa…

É curioso como as coisas mudam tanto em tão poucos meses...

5 – Para o ano espero que cá estejamos todos outra vez.

Anónimo disse...

hihihi
brutal, esta!

Anónimo disse...

muitos tiagos um ja chega. materiais nao obrigado.