terça-feira, outubro 05, 2010

A marota enganou-nos bem...


Nestas comemorações do centenário da república o que mais me impressiona não é a sua implantação mas sim os seus ”implantes”. Numa época em que as senhoras de respeito até escondiam as mãos dentro de luvas, eis que surge uma senhora com a pretensão de mudar o sistema político em Portugal que se manifestava por entre as multidões de volumosos seios desnudos, envergando uma bandeira e coberta somente com uma espécie de lençol ao estilo fêmea-após-o-coito-que-vai-fumar-um-cigarro. Claro que, num país rendido ao conservadorismo e sendo este um país (des)governado por homens, a dita senhora fez sucesso conseguindo mesmo levar a sua avante. Entre reis com ar bichanado de bigodinhos loiros enroladinhos e esta mariposa de implantes voluptuosos, o povo não teve dúvidas.
Agora, passados 100 anos, a Dona República já não nos faz tão felizes. Até porque a beleza das suas curvas e a frescura da sua juventude já vão longe, e a inocência, abertura e franqueza que a faziam percorrer as ruas semi-nua transformou-se em falsa moralidade, leviandade e promiscuidade. De tal maneira que, por vezes, achamos mesmo este senhor…talvez…sexy?!

4 comentários:

Anónimo disse...

Bolas, amiga, escreves mesmo bem...
Maria Papoila

Kate Moch disse...

O povo sai á rua pedindo o Feridas & Calos...
Vá lá ver...

Bastard disse...

Sinceramente, do mal o menos.
Ficarmos refens de familias de sangue azul, em que governar o país não era o mais relevante das suas competências, ou ser reféns de pseudo engenheiros e a camabada toda que anda por lá (Assembleia, ministérios e afins), venha o diabo e escolha!!
Agora até os ordenados podem baixar!!!
O que diriam os Homens que derramaram sangue e suor a lutar pelos direitos de quem trabalha?
Fundações e coisas que nem percebe para que servem, pagas a peso de ouro, nomeações para pagar favores, carros de 150.000€, frotas mudadas constantemente, etc... quem paga?????
O ZÉ povinho, pois claro.

Kate, parabéns pelo texto, está muito bem escrito.

Anónimo disse...

Parabéns Kate e companhia!!! É por causa deste e d'outros textos que eu gosto do Toucaneura. Força no verbo e não só...